Login

Olá, faça o seu login.

Saiba Mais

Não queremos mais beber cerveja ruim.

Você sabia que o Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo? E produzimos mais de 14 bilhões de litros por ano? Isso é muita cerveja. Nós adoramos a cerveja e ela está sempre presente. O problema é apenas um. Produzimos e bebemos as piores cervejas do mundo! E ninguém se importa. Isso não está certo.

98% do mercado é dominado por poucas empresas do setor que produzem apenas um único estilo conhecido como Standard American Lager que não é uma Pilsen como informado nos rótulos. O argumento que usam é que essa é uma cerveja leve e adaptada ao paladar do clima tropical do Brasil. Não é verdade. A cerveja que você bebe não é Pilsen. Mas qual o problema? Você pode falar que gosta dessa cerveja mesmo assim e é feliz desse jeito. É por isso que estou escrevendo esse manifesto para mostrar a você um outro ponto de vista e refletirmos juntos sobre a importância do tema.

A classificação das cervejas no mundo.

Existe uma organização reconhecida mundialmente chamada BJCP - Beer Judgment Certification Program e eles fizeram um excelente trabalho de pesquisa para catalogar todos os estilos conhecidos de cerveja no mundo. Falo pesquisa porque o estilo de uma cerveja nada mais é do que a representação cultural de uma região. Um estilo de cerveja representa uma história e a cultura de um povo. O resultado do trabalho do BJCP é muito interessante e fala quais são as características que uma cerveja tem que ter para ser chamada de lager, pilsen, Pale Ale, IPA, Sout e etc. Fala a história de cada estilo e a sua origem. Vale a pena a leitura www.bjcp.org

E percebemos que existe um vasto mundo de cervejas por aí. Existem muitos estilos que são perfeitamente adaptáveis ao clima do Brasil e ao paladar do brasileiro. E nós bebemos a mesma coisa sempre. É como se vivêssemos em um universo paralelo separado do resto do mundo.

Qual é o estilo de cerveja do Brasil? Não existe. Até a Argentina tem um. Não temos um estilo de cerveja que identifique o Brasil. O terceiro maior produtor de cerveja do mundo não tem um estilo de cerveja tipicamente brasileiro. Simplesmente porque o que bebemos não representa a nossa cultura. É um produto industrial criado exclusivamente para gerar lucro e tirar o máximo de dinheiro do máximo de pessoas.

Os problemas de beber cerveja ruim.

·         Você está sendo enganado. Sua cerveja não é Pilsen como falam no rótulo e tem apenas 40% de malte de cevada, isso devia ser corrigido. Deveria constar um aviso “Contém apenas 40% de malte”.

 

·         Essa cerveja dá ressaca porque está cheia de antioxidantes, conservantes e álcool gerado pela fermentação de açúcar de cana e gera um álcool pesado que é diferente do álcool do açúcar do malte. Ou seja, quase uma pinga. Deveria ter um aviso também: “O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: Contem conservantes e antioxidantes químicos que fazem mal a saúde.”

 

·         Devido à fermentação incorreta está cheia de um componente chamado diacetil. Que também dá muita ressaca. O diacetil é um subproduto natural da fermentação e o trabalho de uma boa cervejaria é manter o diacetil nos menores níveis possíveis, mas isso não acontece na cerveja que patrocina o carnaval. Eles sabem que dá ressaca e não dão a mínima pra isso. Se vai dar dor de cabeça o problema é seu.

 

·         O custo de produção da fábrica que produz as cervejas industriais comuns é extremamente baixo algo próximo de R$ 0,90 o litro (ou menos) e o preço que você paga é exorbitante R$ 18 o litro ou mais. Não é culpa dos impostos e nem a cadeia logística como adoram dizer, é na verdade produto ruim com preço alto. É como comprar banana e pagar preço de ouro.

 

·         Faz mal pra economia do país. É nocivo. Todo lucro gerado pela venda de cerveja é enviada para fora do Brasil e não é reinvestido em pesquisas de novas leveduras nacionais e a produção de malte e lúpulo por exemplo.

 

·         É caro, faz mal para a sua saúde. Dá ressaca e está cheia de químicos.

As vantagens de beber cerveja boa.

Quando você escolhe comprar uma cerveja artesanal brasileira você está contribuindo para a economia e cultura do nosso país e tem a garantia de que uma cervejaria pequena está 100% engajada em produzir uma cerveja realmente boa e isenta de químicos. E ainda ajuda a promover a criação do estilo brasileiro de cerveja.

Todos os problemas que citei acima não existem no mundo das cervejas artesanais.

A cerveja artesanal não é tão cara quanto parece, na verdade naturalmente você bebe menos e no final das contas gasta menos, tem menos ressaca e ingere menos álcool. Faça o teste. Apenas 2 garrafas de 500 ml de cerveja artesanal valem mais a pena do que 12 latas de 350 ml de uma cerveja industrial ruim. O preço é quase o mesmo e você irá se surpreender como apenas 2 garrafas são suficientes pra ser feliz. Beba menos, beba melhor.

A cerveja boa procura trazer vários estilos diferentes para você e tem responsabilidade com a qualidade, você irá se surpreender com a diversidade que existe.

Vamos juntos! Junte-se a nós na revolução.

A revolução começou e somente juntos vamos reverter esse cenário, queremos beber cervejas realmente boas e que valham a pena ser bebidas. Beber por beber apenas para ficar bêbado não é correto. O ato de apreciar uma boa cerveja vai mostrar a você como tudo vale a pena.

O Brasil precisa criar o seu estilo próprio de cerveja e assumir a responsabilidade de ser um dos maiores produtores e consumidores de cerveja do mundo. E só você que é apaixonado pela cerveja como nós pode dar o primeiro passo. Mude o seu padrão de consumo. Pare de comprar cerveja ruim. A culpa não é da grande cervejaria industrial, a culpa é do consumidor.

Lembre-se de não ser enganado, grandes cervejarias industriais estão querendo abafar a nossa revolução, estão comprando cervejarias artesanais que fizeram sucesso, estão acabando com a qualidade das suas cervejas e aumentando o preço para que você tenha a falsa sensação que vale a pena continuar bebendo a cerveja ruim de sempre. Fique atento.

“Boas pessoas bebem boas cervejas.” Antigo texto Celta.

Continue lendo...